Buscar
  • Estratégia Parlamentar

Como criar conteúdos políticos para sua base, opositores e indecisos nas redes sociais



Por Gisele Meter - Se não é fácil criar conteúdos nem para a sua base, imagine pensar nos opositores e indecisos. Mas fique tranquilo, depois deste artigo as coisas ficarão mais claras.



Criar conteúdo por si só já é um grande desafio. Você precisa de ideias, informações, criatividade e um bom planejamento para que o tiro não saia pela culatra.


O objetivo da criação de conteúdos políticos é criar reputação e propagar sua mensagem para o máximo de pessoas que possam se interessar por ela, mas isso só é possível se você tiver clareza da imagem que quer passar e também conhecer quais são os tipos mais comuns de públicos, para que assim você possa criar o conteúdo certo para as pessoas certas.

A primeira coisa que você precisa saber é que existe um caminho para se percorrer, desde o momento em que você decide criar conteúdos para ser descoberto até o momento de fazer com que as pessoas decidam votar, apoiar ou acompanhar você como politico. E a isso dou o nome de “Jornada do Eleitor”.

A Jornada do Eleitor tem basicamente 3 níveis: Atenção, Interesse e Conversão, ou seja, você precisa atrair as pessoas certas para que elas se interessem na sua mensagem e queiram acompanhar ou apoiar você além das redes sociais.


É por isso que não adianta criar meia dúzia de posts que falam somente sobre você e achar que isso é suficiente, não é. Você precisa fazer com que as pessoas se sintam interessadas em sua mensagem, mas isso só é possível se você entregar conteúdo que realmente interesse a elas. E é nesse ponto que entra a análise de públicos.

Em uma breve análise de eleitores ou publico alvo para conteúdos políticos nas redes digitais, assim como nas urnas, podemos dividir as pessoas em 3 grupos: Base, Oposição e Indecisos. E por mais estranho que possa parecer, você precisa criar conteúdos para cada um desses públicos, mas não sem antes conhecê-los:

Base – São aqueles que tem uma inclinação pela sua imagem ou posicionamento. Normalmente pessoas que tem os mesmos valores e ideais que você apresenta. O desafio nesse caso é fazer com que sua imagem se consolide para este público para que possam se sentir representados por você. Por isso ter muita clareza de como você quer ser visto, de suas bandeiras e de como mostra isso nas redes sociais é importante pois é esse conteúdo que te conecta ao seu público base.

A ideia é dar argumentos a quem te admira ou simpatiza com o seu trabalho para que possam te defender nas redes sociais e fora delas.

Ao conhecer os anseios das pessoas com quem fala, você tem a possibilidade de ampliar sua mensagem para potenciais pessoas que ainda não te conhecem, mas que podem aumentar sua base digital. Conhecer seu público base também diz respeito a saber onde sua mensagem deve ser propagada com mais força. Lembre disso.

Opositores – São aqueles que como o nome já diz, se opõem ao que você diz, o objetivo de criar conteúdos voltados para opositores, não é o de convencê-los, mas sim de neutralizá-los.

É claro que você não é ingênuo em achar que o que defende será visto de maneira positiva por todas as pessoas, afinal, ninguém consegue agradar todo mundo e esse também é um dos motivos que um político é eleito por uma parcela da população, normalmente públicos base e indecisos.

Porém não desconsidere o fato de que independente de querer ou não, você também é acompanhado (monitorado, seguido) pela oposição e por pessoas que não concordam com o que você pensa e diz. Esses são os públicos opositores, que podem estar agora coletando informações em suas redes, para no futuro usar isso contra você.

Portanto seja estratégico e pense também nos potenciais “haters” (odiadores) da sua imagem, para assim criar conteúdo de forma que não dê munição para que eles possam te acusar, prejudicar, hostilizar ou comprometer sua mensagem política.

Para este público o ideal é neutralizar ataques, evitando conteúdos impensados, postados de última hora, apenas para preencher feed pois, quando a cabeça não pensa, o corpo (ou imagem virtual nesse caso) padece. E aqui deixo um adendo: Tome cuidado com o que posta sobre si mesmo, com quem leva em formato de fotos ou menções e com aquilo que publica no final de semana, normalmente são esses conteúdos que podem dar margem para te comprometer.

Entenda que os ataques de haters normalmente tem três alvos mais comuns que são:


1. Sua vida pessoal

2. Seu caráter

3. E sua atuação política

E tem por objetivo atacar um dos 3 pilares de sua imagem que são:

1. Desestabilizar você psicologicamente;

2. Plantar a dúvida sobre sua índole;

3. Descredibilizar ou enfraquecer seu trabalho ou imagem política.

Sabendo disso e para reduzir ataques de haters, crie conteúdo sólido com dados e fatos que sirva de combate à desinformação e/ou dúvidas daquilo que você é, pense com a cabeça de um hater (odiador), o que será que eles diriam a seu respeito? Se antecipe e crie conteúdo para combater isso.


Saber o que opositores dizem ou se antever ao que dirão sobre você é uma excelente maneira de produzir antecipadamente conteúdos que neutralizem esses ataques em suas redes.


Dificilmente um opositor se torna base e se isso acontece, tenha certeza que são minoria, porém eles podem contaminar um público muito interessante para os seus objetivos, que são os indecisos comprometendo assim os seus resultados.


Indecisos – Os públicos indecisos são semelhantes aos que não te conhecem, porém tem um fator a mais a ser considerado: apesar de saberem da importância, eles não estão pensando tanto em política como os públicos base ou opositores, logo não adianta tentar empurrar conteúdos ao estilo “palanque virtual”que não vai funcionar para esse tipo de público.

Com indecisos, você deve ser mais sutil e fazer uma entrega gradativa, porém valiosa. Trabalhar conteúdos para este público é quase que como uma conquista. E toda conquista envolve atenção, interesse, desejo para somente ter enfim a ação esperada.

Uma coisa importante para saber sobre os indecisos é que este é o público mais vulnerável a aceitar mensagens suas e também dos seus adversários e justamente por isso, precisa de um motivo sólido para acreditar e confiar naquilo que você diz. Para produzir conteúdo para este público o ideal é que você conheça bem os anseios das pessoas. Falar sobre saúde, educação e emprego podem ser boas portas de entrada para conversar e influenciar potenciais eleitores indecisos.


Porém, de nada adianta saber sobre cada um desses públicos se você não tem uma comunicação política bem planejada e isso inclui saber também sobre quem você é, o que faz e como mostra isso no mundo digital e nisso eu posso te ajudar, conheça mais sobre a mentoria da EP clique aqui.

O bom trabalho acerca de sua influência digital é feito de análise, disciplina e atitude.


281 visualizações