208942083608532
 
  • Estratégia Parlamentar

Quando devo anunciar a minha pré-candidatura?


Tire essa dúvida de uma vez por todas e nunca mais erre na sua estratégia antes das eleições.


Saber o momento certo de anunciar uma pré-candidatura é fundamental, tanto quanto saber também como agir depois disso pois, após o anúncio você pode ter colocado um alvo nas suas costas e precisa saber como lidar com isso.


Se preferir, assista esse vídeo:


Vale lembrar que pré-candidato não pode pedir voto.

Quando falamos em pré-candidatura temos que pensar em duas questões que impactam nessa decisão que são a sua marca política (imagem+influência+reputação) e também o custo existente antes da campanha pois, você não pode simplesmente anunciar algo tão importante como uma pretensa candidatura e permanecer se posicionando apenas com conteúdos pessoais ou agindo intuitivamente sem estratégia nenhuma.


Estou considerando aqui o cenário de quem não tem mandato. Agora se você é um candidato que tem mandato a coisa muda de figura pois, entende-se que você já tem uma construção mesmo que mínima da sua marca política, por meio de suas realizações.


Nesse caso o anúncio deve ser discutido com o seu grupo político pois, nem sempre existirá a necessidade de apresentar uma pré-candidatura para não "levantar lebres" de adversários.


Algumas perguntas que você e seu grupo devem fazer é:


- O que ganhamos ao anunciar a pré-candidatura antecipadamente?

- O que perdemos ao anunciar a pré-candidatura antecipadamente?

- Como vou ser visto após anunciar a pré-candidatura?

- Isso dará mais ou menos tempo para meus adversários agir?


Essas são perguntas que te darão uma visão equilibrada para saber se há mais pontos positivos ou negativos sobre o anúncio. E então fica mais fácil decidir.


Nem sempre existe a necessidade de um político em vigência de mandato anunciar a candidatura antecipadamente.

Agora se o pré-candidato não tem mandato as questões analisadas são e se subdividem em nunca ter sido candidato, ser ou não conhecido ou já ter sido candidato e não ter elegido (ou reelegido)


O primeiro passo para saber quando anunciar sua pré-candidatura quando não se tem mandato é considerar alguns pontos:


- O pré-candidato nunca disputou uma eleição

- O pré-candidato já disputou uma eleição e perdeu (não elegeu ou não foi reeleito)

- O quanto o pré-candidato é conhecido (na política e fora dela)

- Quais as suas realizações para a sociedade ou grupo que pretende alcançar

- Como pretende atuar para viabilizar sua candidatura (por nicho, temática, por região).


O que você precisa saber é que tudo gira em torno do quanto de apoio que você tem em torno da sua futura candidatura.

Então vamos direto ao ponto respondendo as perguntas de forma que possa te ajudar de forma mais prática.


Como saber qual é o momento de anunciar a candidatura?


Quando está em vigência de mandato


Nem sempre será necessário anunciar a pré-candidatura. Tudo dependerá de conversas com seu grupo político, das ações que você tem realizado, dos adversários que podem ter mais tempo para te atacar, alegando que o seu objetivo para cada ação é apenas eleitoreiro além das fake news que podem ter mais tempo para circular.


É claro que existem exceções mas elas devem ser tratadas como tal.


Quando anunciar: Não anunciar ou anunciar de 3 a 6 meses antes do pleito.


Quando já foi candidato ou já teve mandato


Para esses pré-candidatos muitas pessoas, perguntam: “Você vai se candidatar de novo?” E de tanto perguntarem, a pré-campanha acaba sendo “permanente”.


Cabe a cada pessoa decidir qual a melhor estratégia de divulgar uma pré-candidatura.


Se é uma candidatura que vai demandar mais dinheiro, o ideal é lançar apenas dois meses antes da campanha, pois assim se gasta menos.


Se é uma candidatura mais simples, que depende de amigos, familiares, entre outros, lance a pré-candidatura o quanto antes!


É importante ressaltar que lançar a pré-candidatura significa tornar ela pública para os seus possíveis eleitores.

Conversar com apoiadores, possíveis cabos eleitorais, isso deve ser feito o quanto antes, o tempo todo.


Outro ponto que pesa é ir se posicionando frente a adversários que já possuem mandato, dando o recado que você possivelmente estará na disputa.


Sugestão: Tudo dependerá da sua estrutura de custos e estratégia de campanha.



Quando nunca foi candidato e precisa massificar a sua imagem


Como já dito antes, tudo vai depender do quanto de apoio se tem em torno do seu nome (sua marca) para futuros eleitores pois, um pré-candidato tem que saber que é necessário massificar a sua imagem o quanto antes, então o fator tempo pesa nessa decisão.


Fazer um trabalho de marketing pessoal ressaltando seu trabalho e defesa de pautas sem tocar em assunto de pré-candidatura é importante, leva tempo e custa dinheiro e quanto mais você se coloca como futuro candidato, mais será cobrado e precisará de suporte ou orientação para cuidar e ampliar a sua reputação na cabeça das pessoas.


A decisão tem que girar mais em torno da massificação da imagem do que do anúncio da pré-candidatura propriamente dita.


Sugestão: Trabalhar a imagem o quanto antes e fazer o anúncio de 3 a 6 meses antes do pleito.



Quando é uma candidatura de nicho


Se for uma candidatura de nicho, como por exemplo, líder sindical, defensor dos animais, defensor de pautas de costumes, entre outros, o pré-candidato deve construir uma base de apoio sólida antes de lançar sua pré-candidatura.


Os apoiadores nas candidaturas de nichos são determinantes para o sucesso, pois se lançar uma candidatura sem dialogar com outras lideranças você poderá gerar retaliações.


E uma das piores coisas que pode acontecer é ter pessoas criando o anti-voto, ou seja, pedindo para não votarem no seu candidato.


Obtendo os apoios estratégicos, não é necessária uma pré-campanha muito extensa, uma vez que isso demanda custo.


Acredito que maio, 3 meses antes da campanha, seja um bom prazo para se iniciar a pré-campanha.


Nesse caso é mais importante uma boa articulação que uma pré-campanha ostensiva.


Vale ressaltar que nesses casos a pessoa já tem que ser conhecida por parte significativa do seu público-alvo.


Sugestão: 3 meses antes da campanha


Quando é uma candidatura de determinada região


É importante você se tornar conhecido no seu bairro e ir ampliando para regiões maiores.


Ser atuante no dia-a-dia é fundamental, seja com ações sociais ou com articulações com lideranças locais. Os amigos e vizinhos são os principais cabos eleitorais nesse tipo de candidatura.


A pré-campanha nesse caso pode se iniciar em fevereiro, 6 meses antes de começar a campanha. Mas é importante saber dosar! Normalmente os seus cabos eleitorais não são pessoas da política.


Logo, se massificar demais a pré-campanha e exigir muito deles, essas pessoas vão cansar de você.


Sugestão: 6 meses antes da campanha


Espero que agora você já tenha mais segurança para decidir o momento certo do seu anúncio de pré-candidatura (se fizer sentido anunciar). Quero reforçar mais uma vez, que a decisão será sempre sua, baseada em fatores como massificação da sua imagem, apoios e movimento que ser quer criar em torno do anúncio.


As datas colocadas aqui são sugestões para te dar um "norte" e podem não refletir a sua realidade ou estratégia. Por isso é importante saber que conselhos são bons, mas o melhor caminho, sempre será aquele definido com estudo, observação e dados para sua tomada de decisão!


Um abraço e até breve!





118 visualizações